Aplicativo • Checklist de Mudança

Vistoria de entrega e entrega das chaves

Finalmente você está nos passos finais para concluir sua mudança!

Agora que seus pertences já estão na nova casa, é hora de fechar com chave de ouro e fazer a entrega do imóvel anterior.

Siga com nosso passo a passo detalhado para não deixar nenhum detalhe de fora:

1. Se você ainda não agendou a vistoria de saída, faça isso agora mesmo! Verifique com a imobiliária se é possível marcar a vistoria com intervalo de alguns dias até a data limite para a devolução das chaves. Isso pode ser útil caso exista a necessidade de fazer algum reparo no imóvel.

  • Lembre-se que a vistoria de devolução só é obrigatória para imóveis que tenham passado por vistoria de entrada.

2. No dia da vistoria, tenha com você o contrato de locação e toda a documentação da vistoria de entrada. Não deixe de acompanhar o profissional que fará a vistoria de devolução. Procure tirar fotos do imóvel, em especial dos itens sinalizados na vistoria anterior.

  • Se for necessário, você poderá usar essas fotos para contestar o laudo da vistoria e evitar cobranças indevidas. Confira tudo que precisa saber sobre vistorias aqui.

3. Com o laudo da vistoria em mãos, está na hora de buscar técnicos para fazer os eventuais reparos. É claro que você pode arriscar fazer por conta própria, mas lembre-se que as vezes um serviço mal feito poderá sair bem mais caro do que um serviço profissional.

Agora, se você não quer perder tempo buscando indicações de profissionais para cada tipo de serviço, nossa dica é que você use a Fix:

 

4. Finalizados os reparos e pinturas, provavelmente o imóvel precisará de uma boa limpeza antes da entrega para evitar novas dores de cabeça!

Para te ajudar com isso, recomendamos os serviços da Parafuzo, onde você pode encontrar profissionais para limpezas de qualquer tipo: comum, pesada, express, pós obra etc.

 

5. Agora que o imóvel está limpo e em conformidade com o previsto em contrato, tire novas fotos para guardar com você e entre novamente em contato com a imobiliária ou proprietário para realizar a entrega das chaves. Para evitar transtornos futuros, é importante solicitar 2 documentos:

  • O termo de quitação que comprove que não há nenhuma pendência em relação às contas e condições gerais do imóvel.
  • O recibo de entrega das chaves para comprovar o fim da obrigação contratual. Neste recibo deve constar:
    • identificação completa do locatário e do responsável pelo recebimento das chaves, preferencialmente o locador: nome completo, número do documento de identificação, CPF, profissão, estado civil de ambos.
    • identificação completa do imóvel: endereço completo.
    • menção ao encerramento do contrato de locação.
    • local, dia, mês e ano do recebimento.
    • assinatura do responsável pelo recebimento das chaves.
  •  

6. Lembre-se: a obrigação locatícia só é finalizada mediante devolução das chaves. Por isso é essencial solicitar o recibo de entrega das chaves. Sem ele, você pode ser acionado judicialmente para arcar com despesas futuras que não são de sua responsabilidade. Proteja-se!

7. Se houver algum problema no momento da entrega das chaves como, por exemplo, recusa da imobiliária ou do locador em recebê-las, é possível realizar depósito das chaves em juízo para evitar que o compromisso de locação seja indevidamente estendido. Para isso, consulte um advogado de sua confiança.

8. Não esqueça de solicitar o desligamento ou troca de titularidade das contas de gás, luz, água etc. Se ainda não fez isso, consulte nosso tutorial de como alterar titularidade de contas de serviços essenciais e também o endereço dos demais serviços e correspondências!

faq - dúvidas frequentes

Via de regra a resposta é sim, porém existe exceção. De acordo com a Lei do Inquilinato, o inquilino interessado em deixar antecipadamente o imóvel deve pagar multa proporcional ao tempo que falta para completar o prazo contratual. A principal exceção para isenção de multa fica para os inquilinos que puderem comprovar transferência de local de trabalho que justifique a necessidade de mudança.

O aviso prévio de 30 dias é obrigatório mesmo que o prazo do contrato já tenha se esgotado. Não cumprir o aviso de rescisão com antecedência de 30 dias significa que você terá de arcar com 30 dias de aluguel e demais encargos, mesmo que o imóvel esteja vazio.

A Lei do inquilinato não estipula um valor fixo para multa, apenas proíbe que ela seja maior do que o valor total a receber com a soma dos aluguéis até o fim do prazo contratual, no caso de locações não residenciais. Em geral, o valor máximo de multa praticado no mercado é de três vezes o valor do aluguel.

Em primeiro lugar, é preciso analisar se as divergências apontadas são realmente abusivas ou não. Infelizmente pode acontecer de você ter assinado uma vistoria de entrada omissa em algum ponto que posteriormente foi questionado na vistoria de devolução. 

Por isso é muito importante ter toda atenção durante a vistoria de entrada e jamais assinar um laudo com o qual você não concorde

 

Se este não é o seu caso mas ainda assim você verificou que há alguma reivindicação indevida, você pode contestar a vistoria do imóvel

Para isso, tire fotos dos pontos que deseja reavaliação e envie por escrito a descrição do que deseja alterar no laudo. Prefira sempre deixar a comunicação registrada por escrito e, se necessário, entre em contato para negociar. 

Não há um prazo estabelecido em lei para que a vistoria seja feita. Algumas imobiliárias trabalham com o prazo máximo de 2 dias úteis após a devolução das chaves para proceder a vistoria do imóvel. 

Se possível, peça para antecipar a vistoria de saída para, pelo menos, 1 semana antes da devolução das chaves. Assim você terá mais tempo para efetuar reparos que sejam necessários, sem precisar arcar com mais tempo de aluguel por isso.

Todos as despesas referentes à administração da locação do imóvel, inclusive da vistoria, são de responsabilidade do proprietário do mesmo.

Depende do que está previsto no seu contrato de aluguel e no laudo da vistoria de entrada. Em muitos casos existe a previsão contratual de que o imóvel seja devolvido nas mesmas condições da entrada, ou seja, se o imóvel havia sido recentemente pintado, ele deverá ser entregue com pintura recente. Caso contrário, não há obrigatoriedade de fazê-lo.

Em qualquer situação, é importante estar atento à dois pontos:

  • – houve dano significativo à pintura que não seja consequência do uso comum? Se sim, poderá ser solicitada nova pintura.
  • – houve alteração das cores e texturas das paredes? Se sim, poderá ser solicitada nova pintura.

Veja quais são os erros mais comuns e suas consequências:

  • – não respeitar o prazo de 30 dias para aviso do cancelamento do contrato → acabar tendo que pagar por mais 1 mês de aluguel e encargos
  • – não fazer o aviso de cancelamento do contrato por escrito → se não tem como comprovar que fez o aviso, pode acabar tendo que arcar com mais 1 mês de aluguel e encargos
  • – não ter em mãos os documentos da vistoria de entrada (laudo final e fotos) → e acabar tendo que arcar com reparo de problemas que já existiam antes mesmo de ocupar o imóvel
  • – não ter fotos do imóvel no momento da devolução → independentemente da vistoria, tire suas próprias fotos e faça vídeos do local, isso ajuda a comprovar caso você precise contestar o laudo da vistoria
  • – não acompanhar a vistoria de devolução do imóvel → e acabar pagando por reparos sem ter a certeza de que são devidos ou não
  • – não solicitar recibo de entrega das chaves → sem este documento o inquilino não tem como comprovar que o contrato de aluguel foi finalizado e pode acabar sendo cobrado indevidamente 
  • – não solicitar mudança de titularidade das contas → novos moradores podem fazer dívidas em seu nome com as distribuidoras de gás, luz etc. Além do prejuízo, seu nome pode ficar sujo e ocasionar outros transtornos. 

Qualquer necessidade de manutenção deve ser prontamente comunicada, por escrito, ao proprietário diretamente ou através da administradora da locação – seja no momento da devolução ou durante a vigência da locação. Use os meios oficiais descritos no contrato de locação para fazer a comunicação

Em caso de urgência, ligue para os números previstos no contrato, mas nunca deixe de registrar por escrito o alerta sobre a existência do problema. Este registro servirá como prova contra eventuais cobranças indevidas.

Para saber quem será o responsável por arcar com a despesa da manutenção, é preciso verificar de quem será a responsabilidade do reparo:

  • – do condomínio: caso o dano seja causado por alguma tubulação ou obra no prédio, por exemplo;
  • – do vizinho: caso o dano seja decorrente de algum vazamento de responsabilidade do apartamento de cima, por exemplo;
  • – do proprietário: tubulações antigas, fiações elétricas sem manutenção por exemplo podem gerar acidentes, e é responsabilidade do proprietário garantir que o imóvel esteja em condições de moradia
  • – do mau uso do inquilino: ao instalar algum móvel ou eletrodoméstico no imóvel alugado, você pode ter danificado a estrutura do mesmo.

Em geral o próprio condomínio ou proprietário enviam um técnico ao local para identificar a origem do problema e acionar o responsável pela despesa.

Prontinho, só isso!

Esperamos que esse guia tenha ajudado você nesse passo tão importante da mudança. Conta pra gente: as dicas foram úteis? Adoramos receber seu feedback! 

 

Deixe seu comentário ou sugestão na seção abaixo!

 

Boa mudança!